Matriz  |  Rua Francisco Ceará Barbosa, 1091 - Campinas, SP
19 3246-1045  |  19 3246-1355  |  19 97172-5207
<

NOTÍCIAS

CETESB de Portas Abertas para os Hospitais de São Paulo


A diretora-presidente da CETESB, Patrícia Iglecias, abriu as portas da agência ambiental paulista para ouvir as demandas do setor hospitalar, na noite de 28/07, durante encontro com o tema “Gestão de Resíduos Hospitalares”.

O evento foi promovido pela Facilities Hospitalar HCI Group Brasil, objetivando aproximar gestores e fornecedores e proporcionar um ambiente de networking com troca de experiências e boas práticas.

Patrícia Iglecias apresentou um panorama geral da gestão dos resíduos sólidos no estado, destacando dados do recém-divulgado Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Urbanos 2020, que, entre outros, mostrou o contrário da situação predominante no país – São Paulo não tem mais lixões e a nota média do chamado IQR – Índice de Qualidade de Aterros, no ano passado, foi de 8,7, com 97,2% de destinação adequada de resíduos e apenas 2,8% de destinação inadequada.

Falou sobre a classificação dos RSS – resíduos de serviços de saúde na Resolução CONAMA nº 358/2005, que vão do Grupo A – resíduos contendo biológicos, que por suas características podem apresentar risco de infecção, até o Grupo E – materiais perfurocortantes ou escarificantes.

Chamou a atenção para o gerenciamento dos resíduos de serviços de saúde, ressaltando que compete aos geradores, locais como hospitais, clínicas médicas e veterinárias, laboratórios analíticos e de produtos para a saúde, necrotérios e drogarias, a elaboração do Plano de Gerenciamento, obedecendo a legislação ambiental específica, além de normas e critérios técnicos para a coleta, acondicionamento, armazenamento provisório, transporte e destinação final.

Discorreu sobre o reaproveitamento de resíduos têxteis e as orientações e diretrizes da CETESB para a melhor gestão dos resíduos gerados na indústria têxtil, lembrando que, em razão da pandemia, houve uma grande demanda dos hospitais, haja visto a quantidade de resíduos gerados pelos uniformes, roupas de cama e de banho.

Salientou o reaproveitamento dos resíduos têxteis, tema discutido na Câmara Ambiental da Indústria Têxtil, com a participação de representantes da Companhia e na qual são debatidas e desenvolvidas ferramentas para a produção mais limpa e a gestão sustentável dos resíduos gerados no setor.

Explicou, ainda, sobre a possibilidade de ações voluntárias, como a firmada, em 08/07 último, referente ao Protocolo de Intenções sobre o Programa Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, entre a CETESB, a ABIT e Sinditêxtil, entidades representativas do setor.

Texto: Mario Senaga
Revisão: Cristina Leite
Printes: José Jorge
Produção gráfica da matéria no site: Kissy Harumi.
Fonte: CETESB